“No dia 2 de outubro, o povo vai dar um golpe democrático nesse país. De forma soberana, o povo vai dizer para o Bolsonaro chega”, disse Lula á rádio ligada à igreja Católica de Campinas, no interior de SP.

Em entrevista à rádio católica Brasil, vinculada à Diocese de Campinas, no interior de São Paulo, Lula (PT) afirmou que o povo vai dar um “golpe” em Jair Bolsonaro (PL) nas eleições de outubro, mostrando que não quer “mais fascista governando o País”.

Ao ser indagado se Bolsonaro passará ou não a faixa presidencial caso ele seja eleito, Lula lembrou o último presidente da Ditadura, João Figueiredo, que se recusou a fazer o gesto com José Sarney, que assumiu a Presidência após a vitória do titular da chapa, Tancredo Neves, na redemocratização.

“Nós já tivemos no Brasil um presidente que não passou a faixa para o outro. O presidente Figueiredo não passou a faixa para o Sarney. Vocês estão lembrados disso. Eu não estou preocupado se o Bolsonaro vai passar a faixa ou não“, afirmou.

“Eu te confesso que o Bolsonaro terá uma grande lição que vai ser o golpe que o povo brasileiro vai dar nele. No dia 2 de outubro, o povo vai dar um golpe democrático nesse país. De forma soberana, o povo vai dizer para o Bolsonaro chega! A gente não quer mais genocida governando esse país. A gente não quer mais fascista governando esse país. A gente não quer mais negacionista governando esse país”, emendou Lula.

Transposição do São Francisco

Mais cedo, em entrevista a rádio Clube de Pernambuco, Lula reagiu às investidas de Bolsonaro, que iniciou viagem nesta terça-feira (8) em busca de votos no Nordeste, região onde acumula o maior índice de rejeição.

Pré-candidato à reeleição, Bolsonaro desembarcou nesta terça em Salgueiro, no interior de Pernambuco, para inauguração de um núcleo de controle da transposição do Rio São Francisco, obra iniciada no governo Lula (PT) e que estava mais de 90% acabada quando assumou o governo, há três anos.

“Agora a transposição está sendo concluída. Eu só espero que o Bolsonaro, que está fazendo viagens para inaugurar os pedacinhos que ele concluiu, que ele tenha coragem de dizer: ‘olha gente, eu tô inaugurando aqui, mas quem começou essa obra foi o presidente Lula. Ele teve a coragem que nossos governantes no passado não tiveram, ele fez o que o Dom Pedro não fez, o que Marechal Deodoro não fez, que os militares não tiveram coragem de fazer. Foi um pernambucano, saído de Caetés, num pau de arara, com diploma de torneiro mecânico, teve a coragem de fazer a obra do século no nosso país, que levou água a milhões de nordestinos que vivem no semi-árido’”, disse Lula.

Fonte: Revista Fórum