Os detentos das unidades prisionais de Minas Gerais não receberão visitas neste fim de semana. O motivo é a greve dos profissionais da segurança pública. Eles pedem recomposição salarial. Categoria e governo ainda não chegaram a um consenso. A paralisação já dura quatro dias. Nesse período, estão suspensos banho de sol e visitas aos detentos.  

Presidente do Sindicato dos Policiais Penais de Minas Gerais (Sindpen), Jean Ottoni disse que, além do pedido de melhoria salarial, os policiais penais ainda denunciam as más condições de trabalho e a superlotação do sistema prisional. 

“A categoria segue o que foi combinado em assembleia. Estamos dentro das unidades prisionais, continuamos trabalhando e exercendo o nosso papel, mas visitas e banho de sol não (os detentos) terão. Não temos a quantidade necessária de policiais penais para cumprir esta tarefa. Não queremos e não podemos colocar a vida da sociedade em risco. As visitas não têm nem lugar para ficar. As unidades prisionais se transformaram em ambientes inóspitos”, pontuou Ottoni.

Nelson Hungria

De acordo com policias penais que trabalham na Penitenciária Nelson Hungria, em Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte, existe a possibilidade de ter confusão na portaria da unidade neste fim de semana, já que as famílias dos detentos não foram orientadas sobre a suspensão das visitas. 

“Os familiares dos detentos não foram comunicados sobre a suspensão das visitas neste fim de semana. A probabilidade é que ocorra confusão na portaria. O que as famílias sabem é das informações que são veiculadas na mídia”, disse um policial penitenciário que pediu para ter o nome preservado.

Reprodução: Agência Brasil