Policiais protestam, nesta sexta-feira (25), contra descumprimento do acordo de recomposição salarial de 42%.

Os servidores da Segurança Pública entoaram em coro que, caso o governador Romeu Zema (Novo) não cumpra o acordo de recomposição salarial firmado em 2019, a polícia vai parar. A categoria está mobilizada em um protesto, nesta sexta-feira (25), na Cidade Administrativa. Zema é o principal alvo dos manifestantes. Várias faixas hasteada, por exemplo, acusam o governador de “não ter palavra”. 

O cântico foi puxado pelo deputado estadual Sargento Rodrigues (PTB), quando se dirigia aos servidores de cima de um caminhão de som. Depois, o parlamentar ainda cantou “ô, a polícia parou, a polícia parou, a polícia parou”. “Este é o primeiro ato de resistência. Não dava tempo de trazer o pessoal do interior. Mas no dia 9 de março vai ser a maior mobilização da Segurança Pública jamais vista. Aqui (Cidade Administrativa), vamos trazer barraca, acampar, mostrar para o governador com quem ele mexeu”, afirmou.

Zema e a Segurança Pública firmaram um acordo para a recomposição salarial da categoria em 42%. O pagamento seria realizado em três parcelas: uma de 13% em 2020 e outras duas de 12% em 2021 e 2022. No entanto, apenas a primeira foi cumprida pela Executivo. As demais foram vetadas por Zema

Leia também: TJMG determina fim da greve de policiais civis e penais

Além de Sargento Rodrigues, outros parlamentares participam do protesto, como Heli Grilo (União Brasil), Coronel Sandro (União Brasil) e Delegada Sheila (União Brasil). O deputado federal Subtenente Gonzaga (PDT) também estava presente.

Fonte: O Tempo