Em meio ao período chuvoso, típico desta época do ano, Juiz de Fora supera as estimativas e já soma 698,2 mm de chuva em 2022. Apenas em fevereiro deste ano, já choveu cerca de 330 mm, o dobro do esperado para o mês, de acordo com a média histórica medida pelo Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). 
 

O volume elevado de chuva em um curto período de tempo, como aconteceu nos 15 primeiros dias de fevereiro, contribui para a manutenção da saturação do solo. Com isso, aumenta a instabilidade de encostas e a possibilidade de queda de blocos.  A Defesa Civil ressalta que, em caso de risco, a população deve entrar em contato pelo 199. 
 

Do dia 1° de janeiro ao dia 15 de fevereiro deste ano foram atendidas 786 ocorrências. A maior parte dessas notificações são relacionadas a deslizamentos de solo e a região mais afetada foi a leste, com  277 ocorrências.
 

O subsecretário de Proteção e Defesa Civil, Luís Fernando Martins, destaca que o trabalho de prevenção, realizado sob coordenação da Secretaria de Governo (SG), foi essencial para mitigar riscos no município. Ele também alerta sobre a importância das pessoas residentes em áreas de risco geológico ficarem atentas aos sinais. “Os moradores devem sempre observar o surgimento de trincas, fissuras, e, também, verificar se solos e terrenos que apresentam alguma dilatação ou deformação. Também pedimos para notar se dentro das residências há portas e janelas que começam a emperrar, pois são indícios de movimentação do solo que ocorrem de forma gradual. Caso observem esses sinais, é necessário entrar em contato com a Defesa Civil através do 199″, explica.