Foto: Agência Brasil




Minas Gerais enfrenta uma crescente preocupação em relação à dengue em 2024, com estatísticas alarmantes revelando um cenário crítico. De acordo com o painel de monitoramento das doenças arboviroses, atualizado pela Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), o Estado registra uma média de uma morte pela doença a cada 14 horas. Além disso, já superou o número total de casos diagnosticados em todo o ano de 2023, com uma média de 3,6 mil novos casos por dia.

Até o momento, foram confirmadas 158 mortes por dengue, com outros 587 óbitos ainda em fase de investigação. Esse balanço coloca 2024 como o quarto ano com maior número de óbitos desde 2009, ficando atrás apenas de 2019, 2023 e 2016.




O painel também destaca que a letalidade da dengue em Minas Gerais em 2024 é de 2,67%, sendo a faixa etária mais afetada aquela entre 70 e 79 anos.

Em relação ao número de casos, Minas Gerais já confirmou 341.606 diagnósticos de dengue em 2024, ultrapassando os números de todo o ano anterior, que registraram 333.329 casos.




Para lidar com essa situação crítica, a vacinação contra a dengue foi iniciada em 52 cidades mineiras, incluindo Belo Horizonte, através da rede pública. A campanha, coordenada pelo Ministério da Saúde, visa imunizar crianças e adolescentes de 10 a 14 anos com o imunizante Qdenga. No entanto, a ampliação do público-alvo enfrenta desafios devido à limitação no número de doses disponíveis pela farmacêutica japonesa Takeda.