Foto: Divulgação




Os servidores públicos municipais de Juiz de Fora anunciaram uma greve por tempo indeterminado em resposta ao que consideram ser o descaso da Prefeitura em relação às suas demandas salariais e de benefícios. A decisão foi tomada durante uma assembleia realizada na manhã da última quarta-feira (20 de março) convocada pelo SINSERPU-JF (Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Juiz de Fora).

A greve foi motivada pela falta de uma proposta da Prefeitura que atenda às expectativas dos servidores. Até o momento, a administração municipal ofereceu apenas uma reposição salarial de 4,62%, equivalente ao IPCA do período, retroativo a janeiro, além do mesmo índice para o ticket alimentação. Essa oferta foi considerada insuficiente pelos servidores, que buscam uma valorização efetiva de suas remunerações.




Francisco “Chiquinho” Carlos da Silva, presidente do SINSERPU-JF, expressou a insatisfação da categoria: “A Assembleia decidiu de forma serena e soberana, pois os servidores não aguentam mais apenas promessas. Querem uma efetiva valorização. Esperamos uma proposta que atenda o clamor e os anseios da categoria”.

Foto: Divulgação

Após a votação pela greve, os servidores presentes à assembleia decidiram realizar uma caminhada até a sede da Prefeitura para protestar contra a prefeita Margarida Salomão. Segundo Cosme Nogueira, vice-presidente do SINSERPU-JF, a política salarial atual é considerada perversa, com diversos servidores recebendo salário mínimo, falta de ticket alimentação para todos e negociações morosas em relação aos benefícios.




Uma comissão de trabalhadores foi recebida pelo secretário de Recursos Humanos, Rogério Freitas, que reafirmou a proposta da Prefeitura. No entanto, ele prometeu realizar novos estudos para tentar melhorar o reajuste no ticket alimentação, com uma nova reunião marcada para esta quinta-feira (21 de março) às 10h.

Os servidores aguardarão a nova proposta no Pátio da Prefeitura, onde está marcada uma assembleia para as 9h desta quinta-feira.