O Museu Mariano Procópio abre suas portas neste sábado, 23, às 10h30, para a primeira visita guiada para surdos da instituição. O projeto “História do Museu em Libras” é uma das importantes ações inclusivas realizadas no Museu para que o espaço seja acessível a todos os públicos. A visitação será conduzida por mediadores intérpretes de libras, dando a oportunidade de surdos e ouvintes fluentes em libras conhecerem mais sobre a história e as exposições do museu.

Na primeira visita, os participantes poderão conhecer a Villa Ferreira Lage, com mediação dos guias Camila Bauer Finamore, professora de libras e a primeira guia surda do Museu; Renan Norberto, historiador e intérprete de libras; e Lúcia Tosetti, intérprete de libras e professora. Os profissionais passaram por um treinamento oferecido pelos historiadores da Fundação. “Estamos muito satisfeitos com essa nova etapa do projeto. Ter a presença dos surdos aqui também será um aprendizado para todos nós que queremos promover a acessibilidade de nosso patrimônio histórico. É um trabalho inédito na cidade e sabemos que temos um caminho longo pela frente e estamos tendo total apoio de toda equipe do Museu. Isso faz a diferença”, destacou um dos idealizadores do projeto, Renan Norberto.




As vagas para as três primeiras visitas já foram preenchidas. Outras datas serão definidas em breve e divulgadas nas redes sociais do Museu. Um vídeo explicativo para aqueles que tiverem dificuldades em realizar a inscrição também será divulgado nas redes.

Mais inclusão




No último ano, em parceria com o Centro de Atendimento Educacional Especializado (CAEE) Centro, foi produzido pelo grupo de guias e pelo professor surdo Daniel Souza o vídeo “História do Museu em Libras”, que conta a história da instituição e da família Ferreira Lage em libras, que pode que pode ser acessado no YouTube do Museu e através de QR Codes no espaço físico.

Além disso, também no ano passado, um grupo de colaboradores do Museu que conta com recepcionistas, seguranças, vigias e estagiários, começou a aprender a Língua Brasileira de Sinais através de um curso oferecido pelo CAEE. Toda a equipe da instituição segue sendo capacitada para proporcionar o melhor atendimento possível a todos e todas que vão visitar a Mapro.




Próximas visitas:

06/04 – Rememorar o Brasil




20/04 – Fios de Memória