Foto: PCMG




Na quarta-feira (20), a Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) realizou uma operação que resultou no desmantelamento de um esquema de receptação de aproximadamente 500 metros de fios de cobre furtados, além de desvendar uma situação chocante de trabalho escravo. O principal suspeito, um homem de 42 anos, foi preso no bairro Aeroporto, em Juiz de Fora.

As investigações, conduzidas pela Força-Tarefa de Combate ao Crime Organizado, foram iniciadas após a recepção de informações sobre possíveis receptadores dos materiais furtados. Uma denúncia anônima levou os investigadores até um ferro velho no bairro Santos Dumont.




Utilizando tecnologia de drones, os policiais sobrevoaram a área próxima à residência do responsável pelo ferro velho, no bairro Aeroporto, onde identificaram uma grande quantidade de cabos de alta tensão armazenados nos fundos do imóvel, em uma tentativa de evitar qualquer vínculo direto com seu estabelecimento comercial.

Após adentrarem a propriedade, os policiais confirmaram as informações e prenderam em flagrante o suspeito, encaminhando-o ao sistema prisional.




Além da prisão pelo esquema de receptação, a operação policial revelou uma situação análoga ao trabalho escravo. Um homem de 68 anos, identificado como funcionário do local, foi encontrado vivendo em condições subumanas dentro de um cômodo junto ao curral, cercado por esterco e bois. O delegado responsável pela operação, Márcio Rocha, relatou que o homem não recebia salário pelo trabalho e ainda pagava pela moradia a quantia de R$ 250.