Foto: PJF




A Língua Brasileira de Sinais (Libras) chegou às salas de aula da Rede Municipal de Ensino. O maior concurso público para o magistério municipal efetivou, pela primeira vez, professores de Libras, que agora atuam junto às crianças da Educação Infantil aos primeiros anos do Ensino Fundamental. “Juiz de Fora está na vanguarda.

É uma das primeiras cidades, de médio e grande portes, que conseguiram implantar a língua de sinais na grade curricular”, salientou Rodrigo Gomes da Costa, do Departamento de Inclusão e Atenção ao Educando (Diae) da Secretaria de Educação (SE).




Entre as instituições contempladas com o ensino de Libras, está a Escola Municipal Professor Nilo Camilo Ayupe, no bairro Paineiras, região central. As crianças da educação infantil ficam encantadas em aprender sinais que podem expressar ideias, coisas, sentimentos e emoções. “Nós estamos muito felizes em iniciar esse trabalho com as nossas crianças. Como elas são muito pequenas, de 4 a 5 anos, o ensino se dá de forma intracurricular, durante as vivências delas, que são bem diversificadas aqui, já que a nossa escola é de tempo integral.

A ideia é que elas possam aprender e levar essa nova língua para a família e a comunidade”, explicou a diretora Rejane Fonseca.




O ensino de Libras na E. M. Prof. Nilo Camilo Ayupe tem um sentido ainda mais especial para a pequena Hellena de 5 anos e a sua professora Mirella de Oliveira. Ambas são surdas, mas, com a língua de sinais presente no dia a dia da escola, a barreira da comunicação vem sendo rompida, promovendo, além da educação inclusiva, uma maior interação. “O ensino de Libras nas escolas municipais representa um avanço enorme na ampliação da acessibilidade para a comunidade surda.

As crianças ouvintes também estão tendo a oportunidade de ter a Libras como uma segunda língua”, destacou a professora recém-nomeada Marina Almeida. “Era uma demanda antiga que a Prefeitura de Juiz de Fora conseguiu atender de forma pioneira. E é uma honra para mim ocupar esse lugar de professora de Libras na Educação Infantil na Rede Municipal de Ensino”.