Foto: Pexels




Minas Gerais enfrenta uma preocupante escalada nas mortes por Chikungunya, com um aumento alarmante de 300%, revela o Painel de Monitoramento de Casos da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG). Os óbitos, que eram apenas um, agora atingiram o total de quatro. O diagnóstico confirmado da doença alcançou a marca de 16.907.

Sete Lagoas, localizada na região Central do estado, lidera em número de mortes, com três casos fatais entre os 3.376 casos confirmados. Fronteira, no Triângulo Mineiro, também registrou uma morte, somando-se aos cinco casos positivos até a tarde desta segunda-feira (19 de fevereiro).




Dengue

Enquanto a Chikungunya preocupa as autoridades de saúde, a epidemia de dengue continua a crescer em Minas Gerais. De acordo com a SES-MG, o estado já contabiliza 218.265 casos prováveis da doença, com os casos confirmados aumentando de 67.592 para 75.310. Apesar dos números elevados, a curva de casos está em declínio, segundo dados da pasta.

O número de mortes também apresentou um aumento, com casos em investigação subindo de 105 para 122. Um novo óbito foi confirmado, totalizando agora 19 vítimas de dengue nos primeiros 50 dias do ano em Minas Gerais. Entre as vítimas, 15 são mulheres e quatro são homens, sendo que oito apresentavam comorbidades.




Zika

Minas Gerais confirma um caso de Zika e outros 22 prováveis, sem registros de mortes relacionadas à doença até o momento. A preocupação com a saúde pública na região permanece elevada diante do cenário desafiador apresentado pelas arboviroses.