De acordo com o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgado nesta quinta-feira, 27, pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), Juiz de Fora finalizou o primeiro semestre do ano com 2.569 novos empregos formais. Esse valor representa o segundo maior saldo para o primeiro semestre desde o início da série histórica do Novo Caged, iniciada em janeiro de 2020.

Em 2020, ano da pandemia, o saldo foi negativo, de -6.905; em 2021, +2.902; e em 2022, +2.300 vagas criadas. Com relação ao saldo do mês de junho, Juiz de Fora registrou -106 postos de trabalho, resultado da diferença entre 4.807 admissões e 4.913 desligamentos. O Estoque (total de vínculos celetistas) na cidade chegou a 138.090 empregos formais.




Em Juiz de Fora, os setores de Construção (+31), Comércio (+27) e Agropecuária (+1) apresentaram resultado positivo em junho de 2023. Com relação ao setor de Serviços e a Indústria, as demissões superaram as contratações em 162 e 3 postos, respectivamente.

Apesar da queda no mês de junho, o setor de Serviços apresentou saldo positivo no acumulado do primeiro semestre do ano, com 1.989 vagas criadas. O mesmo ocorreu com a Indústria, saldo positivo de 486 empregos. No Brasil, as admissões superaram os desligamentos em 157.198 postos em junho. Com relação aos dados referentes ao estado, o saldo total de empregos também ficou positivo, 25.537. Todos os setores apresentaram saldo positivo em Minas e Brasil.