No domingo, 23 de julho, os moradores de Juiz de Fora, Minas Gerais, tiveram uma visão incomum ao avistarem um balão no céu da cidade durante toda a tarde. O objeto, que despertou a curiosidade de muitos, acabou por cair no final da tarde em uma propriedade rural localizada na cidade vizinha de Pedro Teixeira.

A origem do balão foi rastreada até a cidade do Rio de Janeiro, onde teria sido solto. Segundo informações, trata-se de um balão de alto valor, chegando a custar mais de 50 mil reais. Surpreendentemente, o artefato possuía um sistema de rastreamento por GPS, o que permitiu que o “baloeiro” pudesse monitorar sua trajetória.




Felizmente, a queda do balão não causou danos graves, pois ocorreu em uma área rural em Pedro Teixeira.

No entanto, na mesma noite, um incidente relacionado a outro balão foi registrado no estado do Rio de Janeiro. Dessa vez, um balão caiu na área da Refinaria Duque de Caxias (Reduc), na Baixada Fluminense. O impacto da queda provocou um princípio de incêndio em um dos tanques de querosene da refinaria.




Equipes de brigadistas foram imediatamente acionadas e conseguiram controlar as chamas, evitando maiores danos e prejuízos para a refinaria e a comunidade circundante.

As autoridades alertam para os riscos associados à soltura de balões, uma prática perigosa e ilegal, que coloca em risco a segurança de pessoas e instalações, além de ser prejudicial ao meio ambiente. A população é encorajada a denunciar qualquer atividade relacionada à soltura de balões para evitar situações de risco como essas.




É importante lembrar que o uso de balões é regulamentado por lei e sua soltura é proibida, pois representa uma ameaça real à segurança pública e ao meio ambiente.