A Agência de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon) da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF) divulgou um balanço das apreensões de alimentos impróprios para o consumo no primeiro semestre de 2023. Durante as ações de fiscalização do órgão, entre os meses de janeiro e junho deste ano, foram encontrados 1.267 kg de alimentos impróprios para o consumo em supermercados e distribuidoras da cidade.

O número é quatro vezes maior do que todo o quantitativo do ano de 2022, onde o Procon registrou a apreensão de 253 kg de alimentos impróprios para o consumo, em supermercados e padarias.




A superintendente do Procon, Thainah Marrazzo, destaca que o aumento nas apreensões se deve a intensificação do órgão nas ações de fiscalização. “Estamos na rua com maior efetivo para orientar e também para repreender algumas infrações. Temos notado que essas ações repressivas têm causado um efeito positivo no comportamento dos fornecedores. A prática de apreender os produtos, autuar e, ao mesmo tempo, orientar de como deve ser feita a regularização, tem tido muita efetividade quando a fiscalização retorna ao estabelecimento”, destaca a superintendente.

Os alimentos impróprios para o consumo são caracterizados pelo não cumprimento das normas de consumo, falta de alvarás pertinentes à atividade, alimentos fora da validade, embalagens danificadas e produtos mal acondicionados. As empresas onde são encontradas irregularidades estão sujeitas a autuação e devem regularizar a situação.