Foto: PJF




Começaram nesta quinta-feira, 1º, as comemorações da Semana do Meio Ambiente 2023, um período dedicado à conscientização e sensibilização da população para o cuidar do futuro da cidade. O tema deste ano aborda a sustentabilidade também como engrenagem da economia: “Lixo transformado em riqueza para cidade”. 

A semana teve abertura com a “Coleta Seletiva na Praça”, na Praça da Estação. Um projeto que acontece todas as quintas-feiras para destinação correta de materiais recicláveis junto da contribuição da população e triagem dos catadores. 




Para integrar a Coleta Seletiva, uma instalação artística ambiental, em parceria com o Instituto de Artes e Design (IAD), da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), aconteceu pela manhã, tecendo uma reflexão sobre produção, descarte do lixo e despoluição de Juiz de Fora e do Rio Paraibuna. 

Como pontua a professora do IAD, Sandra Sato, “pensando na despoluição do Paraibuna, a gente teve a ideia de fazer dobraduras de papel no formato de barquinhos, para remeter essa questão da água. A ideia é chamar um pouco de atenção das pessoas fazendo um trabalho artístico educativo de conscientização, porque tudo é a nossa casa.”




Todo papel utilizado na intervenção era inutilizado, e logo após, encaminhado para a reciclagem. A parada ambiental da Secretaria de Sustentabilidade em Meio Ambiente e Atividades Urbanas (Sesmaur), também esteve presente com o stand de distribuição de mudas de suculentas. 

Eco barreira

Para contemplar a Semana do Meio Ambiente, também foi inaugurada a primeira ecobarreira de Juiz de Fora. “Essa é uma iniciativa que envolveu várias secretarias, vários órgãos e é a nossa experiência piloto, para recolher os resíduos flutuantes do nosso querido Rio Paraibuna”, destaca Aline Junqueira, secretária de Meio Ambiente e Atividades Urbanas.




A ecobarreira é feita de materiais reutilizáveis, com uma extensão de 40 metros, formada por 103 galões. O objetivo é, através do apelo visual, que a população reflita sobre o acúmulo de lixo descartado de forma irregular no rio, além de facilitar a manutenção e recolhimento de resíduos maiores. “É mais uma iniciativa no sentido de cuidar da nossa cidade, cuidar do meio ambiente e também dos nossos rios.”, reforça Ana Luisa Guimarães, diretora Geral do Departamento Municipal de Limpeza Urbana (Demlurb), responsável pelo recolhimento diário dos resíduos contidos pela barragem.