Foto: PJF




Cerca de duas mil pessoas estiveram no Parque Municipal na manhã de domingo, 28, para celebrar a união de 173 casais no “Bem Casado”, o casamento comunitário da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF). A iniciativa permitiu a regularização da situação civil e matrimonial como uma potente ferramenta para viabilizar o acesso a direitos.

Na cerimônia, a prefeita Margarida Salomão destacou que Juiz de Fora é uma cidade de afetos. “O amor é uma afirmação da diversidade e do acolhimento. Nesta cidade tudo é para todos. Estamos celebrando a oficialização dessas uniões já sólidas, mas as pessoas têm o direito humano de tê-las no registro civil. O casamento é organizado pela SEDH, mas servidores de toda a PJF se voluntariaram para que essa festa aconteça. É um presente da cidade nos seus 173 anos”.




Histórias e emoções diferentes se uniram para celebrar o amor. Logo no início, pela manhã, as noivas se preparavam com cabelo e maquiagem no Colégio Cecon, um dos parceiros do evento. A expectativa tomava conta das várias salas de preparação. De lá, foram juntas em ônibus cedidos para o trajeto até o parque. No percurso as histórias se entrelaçam.

Laiane Oliveira está há cinco anos com seu companheiro. “É a realização de um desejo antigo que não era possível devido a condição financeira do casal. Estou casando do jeito que sempre sonhei, vestida de noiva, maquiada e com festa. Fiquei sabendo do casamento comunitário por uma amiga que casou no ano passado”, contou.




A representatividade também foi um dos destaques na promoção do respeito. Ana Paula da Silva mora há um ano com sua esposa e não conseguia esconder a ansiedade. “É um dia muito especial, vou casar com quem eu amo”.

Fechar um ciclo com “chave de ouro”, foi assim que Geisiane Assis resumiu sua história. “Fui diagnosticada com um tipo de câncer em estágio avançado, meus filhos e companheiro foram fundamentais nesse processo. Hoje estou curada e vou casar. Estou celebrando a vida”, falou emocionada.




No Parque Municipal, o cenário não era diferente. Os noivos também ansiosos aguardavam a parceiras. Era o caso de Marco de Paula, que está em um relacionamento há 2 anos e 6 meses. “É a mulher que escolhi para minha vida”.

O colombiano Alexander Ramiri também aproveitou a ocasião. “Deus me deu o presente de uma mulher maravilhosa. Casar para mim é um sonho. Sou agradecido a PJF pela organização. Está tudo muito bonito”.




O secretário especial de Direitos Humanos, Biel Rocha, também comentou sobre o projeto. “O casamento comunitário é um grande abraço na cidade por meio da administração. São 173 casais onde muitos já convivem há muito tempo. São mães, filhas, casais homoafetivos, refugiados e de várias comunidades. A Prefeitura garante o documento oficial, a união civil, mas também consolida essa relação afetiva. É um dia especial para a cidade”. A jornalista Érica Salazar também participou da cerimônia e desejou felicidades aos noivos na trajetória em comum durante a vida.

Com o casamento concluído já com os novos nomes no registo, Gilmar Monteiro Primavera e Marcelo Antônio Primavera Monteiro comemoraram. “Quando a gente descobre que amamos e não queremos mais ficar longe, vem a vontade de oficializar isso no papel, porque já oficializamos na vida”.




Após o casamento, os noivos, padrinhos, pajens, damas e convidados puderam comemorar com bolo, doces, salgados e refrigerantes. Os parceiros do Bem Casado são, além da Cecon, o Centro de Atenção ao Cidadão da Câmara Municipal, a Megavalle, a Dispropan, o Centro Socioeducativo, a AACI, os cartórios Cobbucci, Vilela, Benfica, Torreões, o Hotel Constantino, o Senai, a Fábrica de Doces Brasil, a Elegance Noivas, o Bem Casado Noivas e o Comemore Noivas.