O valor arrecadado será convertido em recursos para manutenção do próprio parque.

Em breve o estacionamento do Parque da Lajinha será cobrado, tendo todo o valor arrecadado pelo uso revertido em recursos para a manutenção da estrutura do próprio parque. A licitação foi feita em acordo com a Lei Federal nº 8.666/93 e tem o objetivo de organizar a utilização do espaço, garantir segurança para os proprietários e captar recursos a serem investidos na própria Unidade de Conservação. 

“Nós constatamos que a área estava sendo utilizada por pessoas que nem utilizavam o parque e, às vezes, o dia inteiro, impedindo outras pessoas à visitação, havendo a necessidade de estruturação, até para impedir furtos nos veículos”, comenta Aline Junqueira, secretária de Sustentabilidade em Meio Ambiente e Atividades Urbanas. 

A TG Conservadora Eirelli, vencedora da licitação,  assinou o Termo de Permissão de Uso com a administração na última sexta-feira, 6. O valor cobrado para o estacionamento de veículos deve ser em conformidade com os preços de mercado apresentados pela empresa responsável. A entrada no parque segue de forma gratuita e a cobrança do estacionamento só poderá ser realizada depois que a empresa implementar os instrumentos necessários para operação, descritos em Termo de Compromisso. Ela tem o prazo de 90 dias para instalar equipamentos de segurança, elétricos, sinalização, guarita e controle da área. 

Uma pesquisa realizada em 2022 constatou que mais da metade das pessoas que frequentam o parque vão de transporte público, aplicativo ou a pé.