De acordo com relato de moradores nas redes sociais, após o ataque ao banco e troca de tiros com a polícia, pedestres e motoristas foram abordados e feitos reféns. Em vídeos, é possível ver moradores da cidade amarrados em carros sendo feitos de ‘escudo humano’ para a fuga da quadrilha.

O prefeito de Araçatuba, Dilador Borges (PSDB), afirmou em entrevista à Globo que comunicou o assalto ao governador João Doria durante a madrugada e a cidade recebeu reforço de segurança de Bauru, São José do Rio Preto e Presidente Prudente.




Borges recomendou que a população aguarde em casa enquanto o trabalho da polícia é feito, e acrescentou que os criminosos podem ter esparramado artefatos explosivos nas vias enquanto fugiam. “Eles colocaram barricadas nas rodovias principais, atearam fogo em carros e caminhões”, disse.

A orientação da Polícia Militar é de que a população local não saia de casa devido a essa suspeita de explosivos espalhados pela cidade. Segundo a PM, pelo menos dez carros foram utilizados na ação.




Na fuga, os reféns foram amarrados nos veículos. Tentativa de impedir qualquer contra-ataque da polícia ao grupo. Deus guarde essas pessoas e todos de Araçatuba. Todas as agências bancárias do centro foram invadidas - informações preliminares.

A Santa Casa de Araçatuba informou que atendeu duas pessoas feridas no ataque, um adulto que foi baleado e um adolescente que foi atingido por estilhaços de um explosivo.




Ainda de acordo com a Polícia Militar, algumas entradas da cidade foram fechadas pela quadrilha para evitar que reforços policiais cheguem ao local. Por causa da gravidade da ocorrência, o Baep de São José do Rio Preto, a 151,5 km de Araçatuba, foi acionado para auxiliar no caso.