“Em virtude da extrema gravidade da pandemia de Covid-19 em nossa cidade e região, as entidades Médicas de Juiz de Fora se posicionam através deste manifesto.

Atualmente as cidades de Juiz de Fora e região enfrentam elevadas taxas de ocupação de leitos hospitalares de enfermaria e unidades de terapia intensiva como nunca antes observado ao longo desta pandemia. Com risco iminente de colapso do atendimento e com impossibilidade de continuidade da assistência à saúde dos pacientes infectados por SARSCOV2 em nossa comunidade.

Entendendo a ausência de intervenções medicamentosas com ação antiviral que tratem ou previnam o adoecimento por SARSCOV2 ou suas formas graves;


Entendendo também que as intervenções de protocolos sanitários como uso de máscaras, álcool, álcool gel e higienização das mãos com água e sabão, primordiais, necessitam mais que somente isto, para serem suficientemente efetivos visando o controle da transmissão viral;
Gostaríamos de ressaltar quão imperativa e urgente é a necessidade de, neste momento atual, intensifiquemos as intervenções que, comprovadamente, têm eficácia para controle da transmissão viral: o distanciamento social e a vacinação.

Juiz de Fora, 22-03-2021
Sociedade de Medicina e Cirurgia de Juiz de Fora
Conselho Regional de Medicina de Minas Gerais
Sindicato dos Médicos de Juiz de Fora e Zona da Mata