Os números da pandemia preocupam. Conforme dados do Portal da Transparência de registro civil, em Juiz de Fora, foram registrados 1.016 óbitos nos dois primeiros meses deste ano. No ano passado, no mesmo período, foram 725 óbitos, um aumento de mais de 40% no número de registros de falecimentos.

Esse aumento reflete nos números de sepultamentos do Cemitério Municipal Nossa Senhora Aparecida, da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF). Comparando com começo dos quatro últimos anos pré-pandemia (entre os anos 2017 e 2020), o acréscimo no número de sepultamentos saltou de uma média de 360 enterros nos dois primeiros meses para 489 sepultamentos em janeiro e fevereiro de 2021, o que representa um aumento de 35,83% em relação ao mesmo período do quadriênio anterior.

Dos 489 sepultamentos realizados no Cemitério Municipal, nos dois primeiros meses deste ano, 180 foram de pessoas falecidas por conta da Covid-19, 36,81% do total. O cemitério tem se preparado para momentos como estes, trabalhando para aumentar sua capacidade. Seis covas rasas extras estão sendo abertas diariamente para suprir a demanda.

Atualmente, o Cemitério Municipal tem capacidade para fazer todos os atendimentos, porém, a atuação da Prefeitura de Juiz de Fora vem sendo de suma importância não só para evitar a exaustão do sistema funerário como, principalmente, para evitar maiores problemas no atendimento hospitalar aos contaminados.