O DNIT encaminhou um oficio a Prefeita de Juiz de Fora Margarida Salomão nesta quarta(03) solicitando que a passagem de nível do Poço Rico não seja reaberta pela Prefeitura de Juiz de Fora.

A passagem foi fechada após a construção de um viaduto no plano de eliminar passagens de nível na cidade. A Reabertura estava marcada para 12:00 desta Quarta(03).

“Esta parceria entre DNIT e Prefeitura vem tendo êxito desde sua origem até os dias atuais, onde já foram executados três pontes (Praça dos Poderes, Tupynambás e Antônio Lagrota) e dois viadutos (Augusto Franco e Tupynambás). E com a conclusão do viaduto Praça dos Poderes prevista para este primeiro semestre de 2021 restará apenas mais dois viadutos para completar o previsto inicialmente (Mariano Procópio e Benjamim Constant)”, reforça o órgão.

No ofício, o DNIT destaca ainda que, “como proprietário do patrimônio ferroviário nacional”, sua participação nas obras “só foi possível porque a Prefeitura indicou a necessidade de promoção da segurança e conforto nos pontos de conflitos entre ferrovia e município”.

“Desde sua criação, em 2005, a Diretoria de Infraestrutura Ferroviária do DNIT vem trabalhando arduamente na promoção de segurança ferroviária da malha operacional, providenciando as intervenções e empreendimentos necessários para uma convivência segura da população que precisa conviver com a operação ferroviária”, afirma a entidade.

“Ou seja, estes empreendimentos somente foram executados com a participação do DNIT visando a eliminação do conflito ferroviário urbano existente. Caso contrário, o DNIT sequer poderia fazer parte de tal intervenção no Município.”

O departamento pontua também que, para a reabertura da passagem de nível, a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) deveria ser consultada, uma vez que é responsável pela regularização e fiscalização da operação ferroviária em trecho concedido. “Portanto, antes de qualquer abertura ou reabertura de passagem de nível é fundamental uma manifestação positiva daquela agência regulatória, o que também não ocorreu até o momento”, reforça o ofício.

A Prefeitura de Juiz de Fora ainda nao se manifestou sobre o assunto

Com Informações: Tribuna de Minas