Female passenger at the airport wearing protective mask and using cell phone

Em restaurantes, academias, clínicas, lojas e outros espaços coletivos, o uso da máscara tornou-se indispensável e deve ser feito de maneira correta, sempre cobrindo o nariz e a boca. Antes de o item se tornar prevalente, cientistas de Stanford, Universidade da Califórnia, realizaram um estudo dos locais em que há mais risco de transmissão. Para isso, os pesquisadores usaram dados de movimentação de pessoas em dez cidades dos Estados Unidos, e os dez primeiros locais da lista, de maior para menor risco, são:

1. Restaurantes de “serviço completo” (aqueles em que as pessoas sentam para comer e são servidas por alguém).
2. Academias.
3. Cafés e bares.
4. Hotéis e motéis.
5. Restaurantes de “serviço limitado” (aqueles em que as pessoas podem levar a comida ou sentar, mas pagam antes).
6. Centros religiosos.
7. Consultórios médicos.
8. Mercados.
9. Lojas de mercadorias usadas.
10. Pet shops.

Os demais locais foram considerados de nível medio de contagio pelos pesquisadores.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui