fundamental para compreender melhor a evolução dos focos e aprimorar o combate.

Segurança

Crédito: Divulgação / CBMMG

O uso da aeronave reduz o tempo de combate na operação já que o lançamento da água é administrado por um computador que ajusta a descarga nos focos de incêndio, controlando assim as chamas em determinados locais. Além disso, o avião facilita o combate em pontos de difícil e arriscado acesso para os militares.

Este é o primeiro ano que o Corpo de Bombeiros Militar loca horas de voo do Air Tractor para o combate às chamas. Além de mais autonomia, o avião é estratégico para otimizar a atuação dos militares. Economicamente, o Air Tractor é mais vantajoso do que os helicópteros, pois reduz o número de viagens e, consequentemente, a reposição de combustível.

Os helicópteros bambi bucket (cestos), com capacidade para 400 litros de água, continuam a ser utilizados, sobretudo em focos mais pontuais e na alocação de equipes em pontos estratégicos, locais de relevo acidentado ou isolados. A ação conjunta avião e helicóptero agiliza a extinção do incêndio, o que promove menor dano aos biomas locais.

O Batalhão de Emergências Ambientais (Bemad) e o Batalhão de Operações Aéreas (BOA),  que compõe o Comando Especializado de Bombeiros, operam as ações de combate a incêndios no estado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui