Mesmo durante o período de Pandemia, veículos do Transporte clandestino de passageiros continuaram a circular pelo Brasil. Durante fiscalizações pelas rodovias, cerca de 565 veículos foram apreendidos por Transporte clandestino, onde os veículos ( ônibus e vans) não possuem autorização para realizar aquela viagem, lista de passageiros e na maioria das apreensões o veículo nem condições de circular possuía.

Confira o balanço das fiscalizações por Estado no Sudeste.

Desde a pandemia 565 veículos apreendidos flagrados executando transporte clandestino de risco, 16.950 passageiros impactados, 1318 autos de infração lavrados com irregularidades de transporte publico.

No Rio de Janeiro: 26 apreensoes, 204 autos e 780 pessoas diretamente impactadas.

Em Sao Paulo: 74 apreensões, 49 autos, 2.220 pessoas diretamente impactadas

Em Minas Gerais: 35 apreensões, 49 autos e 1050 pessoas diretamente impactadas.

Distrito Federal 50 apreensoes, 154 autos e 1500 pessoas diretamente impactadas.

Durante uma fiscalização na última semana em Juiz de Fora, um veículo que prestava serviços pela Buser e realizava a rota Juiz de Fora x Belo Horizonte, foi autuado após a fiscalização verificar o estado dos pneus do veículo onde fugia da condição de rodagem.

Oferta e procura. Apesar de considerarem a quantidade de multas aplicadas alta, especialistas em trânsito acreditam que elas são ainda subnotificadas no Brasil.

Uma das avaliações é que a falta de oportunidades no mercado de trabalho reflete tanto na oferta quanto na procura por esse tipo de serviço. Tarifas 60% mais em conta que as oferecidas por empresas de ônibus regularizadas são atrativas. Mas é preciso destacar que os veículos que atuam ilegalmente não são vistoriados e, muitas vezes, não têm condições de prestar um transporte de qualidade.

Não vale a pena. A economia no valor da passagem não vale a pena. “Pode custar vidas”, ressalta a ANTT.

Segundo a coordenação da agência, a fiscalização será reforçada nas estradas mineiras nos próximos dias, para coibir a atuação dos clandestinos.

Os passageiros que observarem irregularidades podem denunciar pelo telefone 166 ou no site.

Quem é flagrado prestando o serviço entre estados é multado em quase R$ 7 mil, a infração é considerada gravíssima e o veículo apreendido por no mínimo 72 horas, informou ANTT.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui